Bem-vindo -
11/11/2020

Áudio de presidente do PC do B de Tupã sobre apoio político 'vaza' e causa polêmica

Vereador Luis Ales e o prefeito de Tupã, Caio Aoqui, envolvidos em áudio polêmico.
Luis Alves diz aos candidatos que "fechou" com o atual prefeito Caio Aoqui que teria oferecido estrutura de campanha e "algumas necessidades" da Prefeitura. Político confirma o áudio, mas nega irregularidades. Prefeito mantém silêncio.
 
Um áudio "vazado", em que o presidente do PC do B de Tupã e atual vereador Luis Alves, teria anunciado aos pré-candidatos a vereador do partido, fechamento de apoio à candidatura do prefeito Caio Aoqui, está causando polêmica. O motivo é que, além dele falar que o chefe do Executivo teria oferecido toda estrutura partidária, insinua eventual apoio da Prefeitura.
 
 
Ontem à noite, Luis Alves confirmou que enviou mesmo o áudio aos então pré-candidatos a vereador, mas negou que houvesse qualquer tipo de irregularidades (veja no final da matéria).
 
O Visão Notícias entrou em contato com a assessoria do prefeito Caio Aoqui. Apesar de várias insistências, até o começo desta manhã nenhuma nota oficial havia sido divulgada. A informação era de que estava ocupado com a sua campanha política visando a reeleição.
 
"Algumas necessidades da Prefeitura"

"Com o Caio a gente ainda tem alguns detalhes prá gente cuidar, mas basicamente a gente sentou com o Caio porque o Caio, além de ter a estrutura para a campanha que nos ofereceu, ele também disponibiliza as necessidades, algumas necessidades que a gente possa ter com a Prefeitura, né? Então isso é importante também", teria afirmado Luis Alves.
 
A mensagem, com cerca de quatro minutos de duração, teria sido enviada aos pré-candidatos a vereador, em um grupo de WhatsApp.
 
Teria ocorrido possivelmente entre final de agosto ou começo de setembro, já que o presidente do partido informa ainda que a convenção do partido ocorreria na primeira quinzena de setembro e seria importante os postulantes às vagas definissem sugestões de números com o começo "65" (número do partido).
 
Principais trechos
 
Na conversa com os pré-candidatos, presidente do PC do B de Tupã, informa diretamente que fechou o apoio político com atual prefeito e candidato à reeleição, Caio Aoqui:

"...O PC do B de Tupã, com aval da nossa direção e da direção estadual do partido, estaremos todos apoiando o Caio para as eleições. Nós já definimos algumas questões, material gráfico, adesivos, combustível, um cabo eleitoral para cada um, né? Nós estamos acertando agora com o partido o recurso,né?"
 
Em seguida, fala sobre a hipótese de apoio extra: 
 
"Com o Caio a gente ainda tem alguns detalhes prá gente cuidar, mas basicamente a gente sentou com o Caio porque o Caio, além de ter a estrutura para a campanha que nos ofereceu, ele também disponibiliza as necessidades, algumas necessidades que a gente possa ter com a Prefeitura, né? Então isso é importante também".
 
Luis Alves teria dito também que outro candidato a prefeito, César Donadelli, não sinalizou com nenhum apoio para a campanha:
 
"É claro que, em termos de competência, o dr. Cesar é um cara muito qualificado. Só que o que a gente precisa é de estrutura de campanha, material prá campanha. Infelizmente com o dr. Cesar nós não tivemos nenhuma proposta né? Nenhuma conversa sinalizando alguma coisa. Então... e o próprio dr. Cesar disse que não iria colocar dinheiro nenhum dele na campanha (...). O Cesar não ofereceu prá gente nem um copo d´água. Aí, fica difícil né?"
 
Estrutura de campanha
 
No áudio, o presidente do PC do B de Tupã deu mais detalhes aos pré-candidatos de como seria este apoio partidário de Caio Aoqui, ou seja, cada um poderia gravar material para o período eleitoral:
 
(...) "Caio já sinalizou com estrutura de campanha. Além desse material, escritório, advogado... Tudo isso aí a gente vai precisar né? Uma assessoria durante a campanha. O Caio também terá o estúdio de gravação de áudio e vídeo, uma equipe ajudando, editando, orientando. Isso também é importante. Como a campanha terá uma atuação nas mídias sociais, então o Caio nos ofereceu também o estúdio para gravação de matérias em áudio e vídeo. Então isso é importante".

Vereador confirma áudio e nega irregularidades
 
O vereador Luis Alves confirmou, no começo da noite de ontem que realmente é dele o áudio que vazou nas redes sociais.
 
Mas, garante que não existe nenhuma ilegalidade no que informou aos pré-candidatos. "Estou muito tranquilo", afirmou
 
Luis Alves disse que é normal, numa eleição, a coligão majoritária dar apoio aos partidos com estrutura de campanha, como material gráfico.
 
No que diz respeito ao trecho em que cita "algumas necessidades que a gente possa ter com a Prefeitura", afirma que se referiu aos benefícios que conquistou junto ao governo federal (verbas públicas) para obras no município de Tupã, como reforma de um complexo esportivo (valor de R4 1 milhão) e de uma unidade de saúde (R$ 250 mil).
 
Portanto, seriam esses serviços públicos que vem cobrando da administração municipal como sendo as "necessidades" que ele citou no áudio aos colegas de partido. "Não tem nenhum ato ilícito", garantiu.

Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Marília Conectada
© Copyright 2019 Marília Conectada. Todos os direitos reservados.